LOGIN: PASSWORD: Novo utilizador | Recuperar Password  
A capa do manual "Como pensar tudo isto?"
Inserido em 2014-03-27  |  Adicionar Comentário



Fazer uma capa de um manual, para a Sebenta/Manual Escolar 2.0 não é apenas encontrar um embrulho assético que sirva a todos os alunos e professores e, ao mesmo tempo, não sirva a nenhum.

A capa, para nós, é uma afirmação da identidade do manual e da editora.

A Sebenta/Manual Escolar 2.0 sempre se caracterizou por isso, o que a tornou reconhecida entre os professores e lhe granjeou um prémio de melhor design de manual escolar.

Mas não estamos a falar só de design. Quisemos que esta capa:

• exibisse o roteiro do conteúdo do manual, através da representação de momentos fundamentais dos diversos capítulos e do programa do 11º ano;

• colocasse problemas filosóficos, algo central neste projeto;

• suscitasse a adesão dos alunos à aprendizagem da filosofia com interrogações, interpelações, questões a que não saberão responder no início do ano, mas cujas respostas descobrirão no seu decurso;

• colocasse o ensino e a aprendizagem da filosofia num plano acessível, pela imagem que projeta, desmontando preconceitos de dificuldades inultrapassáveis em relação a esta disciplina e realçando que é possível aprendê-la (e ensiná-la) nos contextos mais adversos.

Poderão constatar que esta capa:

• se inicia com a lógica formal, salientando que a primeira etapa de um bom argumento é a validade e daí a importância de estudar a lógica aristotélica ou a lógica proposicional;

• continua com a lógica informal, com referências à retórica e à perspetiva socrática de filosofia;

• prossegue com a epistemologia, através de ilustrações e questões alusivas a Descartes e a Hume;

• finaliza com a filosofia da ciência, através de referências a Popper e a Kuhn.

Queremos realçar que a filosofia não é nunca vulgarizada nem transformada em lugar-comum neste projeto. A sua aprendizagem tem dificuldades, implica esforço e a aquisição de ferramentas básicas sem as quais qualquer esforço resulta improfícuo. Contudo, é também convicção dos autores que há estratégias e pedagogias que podem tornar esta disciplina motivadora, não rotineira e aliciante para professores e alunos.

Gostaríamos que esta capa espelhasse essas convicções. Vocês o dirão.
Aguardamos pelos vossos comentários.

Bookmark and Share